Conto Africano: Annase e o baú de histórias


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Conto Africano: Annase e o baú de histórias

Houve um tempo em que na Terra não tinha nenhuma história para se contar. Todas pertenciam a Nyame, o Deus do Céu. Kwaku Ananse, o homem aranha, queria comprar as histórias de Nyame, o deus do Céu, para contar ao povo de sua aldeia. Então, ele teceu uma teia de prata que ia da terra até o céu.
Quando Nyame ouviu Ananse, aquele homem velho e magro, dizer que queria comprar suas histórias, ele riu muito e falou:
– O preço das minhas histórias, Ananse, é que você me traga Osebo, o leopardo com dentes terríveis; Mnboro os marimbondos que picam como o fogo e Moatia a fada que nenhum homem jamais viu!!
Ananse deu um sorriso e respondeu:
– Pagarei seu preço com prazer!
Ananse desceu por sua teia de prata que ia do Céu até o chão para pegar as coisas que o Deus do Céu exigia. Ele correu por toda a selva até que encontrou Osebo, o leopardo de dentes terríveis. E o leopardo falou:
– Ah, Ananse! Você chegou na hora certa para ser o meu almoço!!
– O que tiver de ser será! – disse Ananse – Mas primeiro vamos brincar de amarra – amarra?
O leopardo que adorava jogos, logo se interessou:
– Como se joga este jogo?
– Com cipós! Eu amarro você pelo pé com o cipó… depois desamarro! Aí,… é a sua vez de me amarrar! Ganha quem amarrar e desamarrar mais depressa. – disse Ananse.
– Muito bem! – rosnou o leopardo que planejava devorar o Homem Aranha assim que o amarrasse.
Ananse, então, amarrou Osebo pelo pé. Depois, ágil como o homem aranha, foi amarrando todos os pés do leopardo. Quando ele estava bem preso, pendurou-o amarrado a uma árvore dizendo:
– Agora Osebo, você está pronto para encontrar Nyame o Deus do Céu!
Aí, Ananse cortou uma folha de bananeira, encheu uma cabaça com água e atravessou o mato alto até a casa de Mmboro. Lá chegando, colocou a folha de bananeira sobre sua cabeça, derramou um pouco de água sobre si, e o resto sobre a casa de Mmboro dizendo:
– Está chovendo… chovendo… chovendo… vocês não gostariam de entrar na minha cabaça para que a chuva não estrague suas asas?
– Muito obrigado, Muito obrigado!, zumbiram os marimbondos entrando para dentro da cabaça que Ananse tampou rapidamente.
O Homem Aranha, então, pendurou a cabaça na árvore junto a Osebo dizendo:
– Agora Mmboro, você está pronto para encontrar Nyame, o Deus do Céu!!
Depois, ele esculpiu uma boneca de madeira, cobriu-a de cola da cabeça aos pés, e colocou-a aos pés de um flamboyant onde as fadas costumam dançar. À sua frente, colocou uma tigela de inhame assado, amarrou a ponta de um cipó na cabeça da boneca e foi se esconder atrás de um arbusto próximo. Ficou segurando a outra ponta do cipó e esperou. Não demorou muito e chegou Moatia, a fada que nenhum homem viu. Ela veio dançando, dançando, dançando, como só as fadas africanas sabem dançar, até aos pés do flamboyant. Lá, ela avistou a boneca e a tigela de inhame.
– Bebê de borracha, estou com tanta fome… poderia dar-me um pouco de seu inhame?
Ananse puxou a sua ponta do cipó para que parecesse que a boneca dizia sim com a cabeça. A fada, então, comeu tudo, depois agradeceu:
– Muito obrigada bebê de borracha.
Mas a boneca nada respondeu. A fada, então, ameaçou:
– Bebê de borracha, se você não me responde, eu vou te bater!
E como a boneca continuasse parada, deu-lhe um tapa ficando com sua mão presa na sua bochecha cheia de cola. Mais irritada ainda, a fada ameaçou de novo:
– Bebê de borracha, se você não me responde, eu vou lhe dar outro tapa.
E como a boneca continuasse parada, deu-lhe um tapa ficando agora, com as duas mãos presas. Mais irritada ainda, a fada tentou livrar-se com os pés, mas eles também ficaram presos. Ananse então, saiu de trás do arbusto, carregou a fada até a árvore onde estavam Osebo e Mmboro dizendo:
– Agora Mmoatia, você está pronta para encontrar Nyame, o Deus do Céu!!
Depois, ele teceu uma imensa teia de prata em volta do leopardo, dos marimbondos e da fada, e uma outra que ia do chão até o Céu e por ela subiu carregando seus tesouros até os pés do trono de Nyame. O Deus do Céu ficou maravilhado, e chamou todos de sua corte dizendo:
– O pequeno Ananse, trouxe o preço que peço por minhas histórias; de hoje em diante, e para sempre, elas pertencem a Ananse e serão chamadas de histórias do Homem Aranha! Cantem em seu louvor!
Ananse, maravilhado, desceu por sua teia de prata levando consigo o baú das histórias até o povo de sua aldeia. Quando ele abriu o baú, as histórias se espalharam pelos quatro cantos do mundo e são contadas até hoje.


Gostou deste conto? Veja outros:



Contos africanos

Selecione o título que deseja para ler o conto.
Tati Simões

Tati Simões

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
Pinterest
WhatsApp

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias
Parceiras
Visitas
free website counter html code

Coruja Pedagógica © - Todos Direitos Reservados.

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.