O componente Arte nos Anos Finais do Ensino Fundamental

Na BNCC, o componente Arte faz parte da área de Linguagens com os componentes de Língua Portuguesa, Língua Inglesa e Educação Física. A finalidade da área é possibilitar aos estudantes participar de práticas de linguagem diversificadas, que lhes permitam ampliar suas capacidades expressivas em manifestações artísticas, corporais e linguísticas, como também seus conhecimentos sobre as especificidades dessas linguagens, sempre em conexão com as culturas juvenis.

O componente Arte tem muito a contribuir para essa formação, pois a Arte é um campo do conhecimento humano sensível-cognitivo que envolve as práticas da criação, da produção, da apreciação, do compartilhamento e da reflexão de suas formas e, assim como os outros componentes na área de Linguagens, a Arte é considerada uma prática social, que permite que as pessoas interajam consigo mesmas e com os outros, constituindo-se como sujeitos sociais.

Estrutura do componente Arte e suas unidades temáticas

Na BNCC, o componente Arte está estruturado para promover a aprendizagem das especificidades das , da , da  e do . Cada uma dessas linguagens constitui uma unidade temática e reúne objetos de conhecimento e habilidades. A BNCC ainda aponta para a possibilidade de que os processos de aprendizagem em Arte ocorram por meio da articulação entre as linguagens, gerando uma nova unidade temática, chamada de .

Os processos de aprendizagem deste componente visam o desenvolvimento da sensibilidade, da criatividade (insight), da cognição, da capacidade de argumentação e de reflexão dos estudantes.

É importante lembrar que os produtos artísticos devem ser considerados como parte da aprendizagem e não mais importantes que outras etapas da construção de conhecimento em Arte.

Assim como em outros componentes, também em Arte a realidade do aluno, sua identidade, deve ser trabalhada em sala de aula. Para isso, os professores e alunos podem compartilhar os saberes, organizando exposições, saraus, espetáculos, performances, concertos, recitais, intervenções e outras apresentações e eventos artísticos e culturais, na escola ou em outros locais.

As seis dimensões do conhecimento

A BNCC propõe que os processos de aprendizagem em Arte considerem uma articulação entre seis dimensões do conhecimento humano de modo a promover uma construção de conhecimentos densa e significativa, que possibilite aos sujeitos conhecerem manifestações artísticas diversas contextualizadas no tempo e no espaço e tornarem-se capazes de expressar pensamentos e emoções por meio de formas estéticas, relacionando-as aos seus cotidianos e aos fenômenos sociais, políticos e históricos de seus locais de vivência e do mundo.

Veja a seguir a videoaula sobre as seis dimensões do conhecimento durante os processos de aprendizagem.

Enquanto assiste ao vídeo, reflita sobre a inter-relação dessas dimensões e de que modo elas podem ser contempladas em sua prática pedagógica.

Se, por um lado, trabalhar em uma perspectiva da práxis com a Arte na escola possibilita o desenvolvimento dessas dimensões do conhecimento pelos alunos, por outro, favorece o desenvolvimento das competências específicas apresentadas pela BNCC (2017, p. 196) para esse componente, que são:

  • 1

    Explorar, conhecer, fruir e analisar criticamente práticas e produções artísticas e culturais do seu entorno social, dos povos indígenas, das comunidades tradicionais brasileiras e de diversas sociedades, em distintos tempos e espaços, para reconhecer a arte como um fenômeno cultural, histórico, social e sensível a diferentes contextos e dialogar com as diversidades.

  • 2

    Compreender as relações entre as linguagens da Arte e suas práticas integradas, inclusive aquelas possibilitadas pelo uso das novas tecnologias de informação e comunicação, pelo cinema e pelo audiovisual, nas condições particulares de produção, na prática de cada linguagem e nas suas articulações.

  • 3

    Pesquisar e conhecer distintas matrizes estéticas e culturais – especialmente aquelas manifestas na arte e nas culturas que constituem a identidade brasileira –, sua tradição e manifestações contemporâneas, reelaborando-as nas criações em Arte.

  • 4

    Experienciar a ludicidade, a percepção, a expressividade e a imaginação, ressignificando espaços da escola e de fora dela no âmbito da Arte.

  • 5

    Mobilizar recursos tecnológicos como formas de registro, pesquisa e criação artística.

  • 6

    Estabelecer relações entre arte, mídia, mercado e consumo, compreendendo, de forma crítica e problematizadora, modos de produção e de circulação da arte na sociedade.

  • 7

    Problematizar questões políticas, sociais, econômicas, científicas, tecnológicas e culturais, por meio de exercícios, produções, intervenções e apresentações artísticas.

  • 8

    Desenvolver a autonomia, a crítica, a autoria e o trabalho coletivo e colaborativo nas artes.

  • 9

    Analisar e valorizar o patrimônio artístico nacional e internacional, material e imaterial, com suas histórias e diferentes visões de mundo.

O componente Arte conecta-se também com as competências gerais da Educação Básica presentes na BNCC e com as competências específicas da área de Linguagens à medida que auxilia os estudantes a desenvolverem um modo sensível, ético e responsável de se relacionar consigo mesmos, com seu entorno social e com o mundo, conhecendo e compreendendo as manifestações artísticas ao longo da história, sua importância na perpetuação da história humana e criando formas artísticas com base nessas referências artísticas, filosóficas, estéticas e políticas.

Para entender melhor de que modo o componente Arte conecta-se com as competências gerais da Educação Básica presentes na BNCC , assista ao vídeo a seguir.

 

Nos Anos Finais do Ensino Fundamental, espera-se maior sistematização dos conhecimentos e a participação em práticas mais diversificadas em cada linguagem e na relação entre elas e com outras áreas do conhecimento.

Além disso, deve haver a ampliação das interações dos alunos com as manifestações artísticas e culturais locais, nacionais e mundiais, de diferentes épocas e contextos. As práticas devem ocupar espaços diversos, possibilitando maior relação dos alunos com seu entorno social e favorecendo as relações com a comunidade. Nessas práticas, as culturas juvenis devem ser consideradas e estar conectadas com os interesses dos estudantes.

No próximo vídeo, veja exemplos de manifestações artísticas e culturais. Enquanto assiste ao vídeo, reflita sobre o objeto de conhecimento contemplado e imagine de que modo você poderia desenvolver uma proposta semelhante, considerando a sua realidade local.

Saiba mais

No site do Iphan, que é o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, você pode saber mais sobre os motivos pelos quais uma manifestação cultural pode ser considerada como um bem cultural imaterial brasileiro e pode ter acesso ao banco de dados dos bens registrados.

Conheça quais são os patrimônios culturais brasileiros que foram reconhecidos pela Unesco como Patrimônios Culturais Imateriais da Humanidade.

Veja também algumas manifestações culturais do Brasil inteiro que foram originadas a partir de heranças culturais africanas.

Para finalizar, assista ao vídeo a seguir para saber como relacionar uma mesma habilidade a outros componentes curriculares, como Língua Portuguesa.

Tati Simões

Tati Simões

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
Pinterest
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias
Parceiras
Visitas
free website counter html code